sábado, 29 de setembro de 2012

Fragmentos

Frag | Não pensei que esse discreto blog alcançaria esse tanto de postagens, e se eu escrevesse na frequência em que tenho ideias já teria passado dos 100 posts. Mas eu me contenho. Já é primavera, e veja só, meu post anterior foi escrito no outono. Não fiz isso de propósito, simplesmente me contive. Eu perdi boas ideias que tive durante aquelas horas que eu perco deitada antes de dormir. Várias ideias que se esvaíram no buraco negro e contorcido da imaginação noturna. Não sei o que me fez logar agora e começar a escrever, mas alguma ideia genial certamente não foi.

men | Hoje uma pessoa me disse que não era tão racional como eu. Fiquei pensando que saber que não se é tão racional já é um passo significativo para quem quer ser racional, ou mesmo menos emocional. É extremamente elucidativo saber quem se é para saber o que mudar quando algo incomoda. Às vezes a gente fica assim sei lá, né? E continua nesse quadro desanimador sem saber se vai ou se fica, se dorme ou se come, se ri ou se chora. É aquela típica situação que faz a vida ser cansativa. Mas é nesse momento que é bom refletir sobre si mesmo e o que a gente faz com a vida que tem. Porque nem sempre o estado de 'sei lá' é culpa do que a vida faz com a gente, mas como a gente lida com a vida.

tos | E quando a gente sabe onde quer chegar e a vida fica de brincadeirinha com a gente, hein? Bloqueando caminhos, escondendo as ferramentas, testando pra ver se a gente é capaz de chegar onde quer. É, eu pensava assim tempos atrás: a vida isso, a vida aquilo. E cara, na boa, não é nada disso, quem faz a vida que se tem é a gente mesmo. A gente se boicota, se testa, se obriga, se repreende e nem percebe. A vida é a gente.  

"Nunca deixe que as tristezas do passado e as incertezas do futuro estraguem as alegrias do presente." Autor desconhecido


"Lembre-se, hoje é o amanhã sobre o qual você se preocupou ontem." Dale Carnegie

0 blábláblá:

Postar um comentário