quinta-feira, 29 de março de 2012

ela e ele.

Recentemente - uns 3 anos - fui apresentada a ela. Foi um encontro super repentino e, na verdade, os motivos que fizeram cruzar os nossos caminhos são totally dispensáveis, mas se teve que ser assim então cabe a mim aceitar. A cada ano nós estamos nos aproximando mais, tal como se tivéssemos curiosidade de saber mais sobre cada uma de nós. Eu, no auge da minha sinceridade marota, não tenho interesse em aprofundar a nossa relação porque já estamos num nível de intimidade insana. Eu desejo todo dia que ela reveja os próprios conceitos e se afaste do meu cotidiano. But, eita bicho metido! Nonsense total, pelamor. Ela é absurdamente desagradável e altamente incompreendida pela sociedade. Sei disso porque passo noites em claro com ela - entendo-a e sei das suas fraquezas. Aliás, confesso: ela já foi levemente interessante - assim, em tom nude - quando ajudava a desenvolver a minha criatividade. Não sei o que houve, mas não rola mais uma vibe sadia entre a gente. A palavra certa é: desnecessária. Digo isso dela porque levando a vida que se leva por aqui, o horário que ela surge só atrasa o desenrolar de uma suposta vida saudável. Por exemplo, eu, bem, eu nunca fui um exemplo de vida regrada mas depois que ela apareceu...vish, o meu relógio biológico quebrou. Eu comecei a ter uns receios idiotas, umas dúvidas toscas, umas idéias refutáveis, uma vida desregulada. Como se não bastasse eu ter que aguentá-la, ela fez a arte de me apresentar a um amigo. Ainda se valesse a pena, mas não. Ele não é mais alto que eu, não tem a voz grave sedutora, não é moreno de olhos verdes nem um coreano talentoso. Ele não é educado, não é cult nem pop, não é bem quisto pela sociedade, e assim como ela só deixa as coisas pra depois. Postergador nato. Vive pelo mundo, é poliglota mas só fala asneiras. Ou seja, não é meu tipo ideal, e o pior: vem me ver todos os dias. Véi, na boa, me mira mas me erra. Todo dia, mentalmente, eu peço pra que ela e esse serzinho se dêem as mãos e runaway from me. Eu deixo de fazer coisas interessantíssimas por causa desses dois, quando na boa, não recebo nada de bom como recompensa. Além de abusarem do meu tempo, ainda me deixam super cansada quando eu tento viver o tempo que ainda tenho alone, pois sempre fico à espreita pra que eles não me vejam. Eu sou um ser abissalmente paciente, mas com essa dupla eu não tenho mais muito ânimo pra me manter calma. A culpa maior é do amigo, ser imprestável e preguiçoso. Sério, dica de quem te quer bem: se você encontrar com a Insônia ou com o Desemprego, não dê trela pra eles. Grave esses nomes: Insônia Emburrecedora e Desemprego Retrogrado. Duplinha inconviniente. Veja só, são 3:25 e eles ainda estão aqui procurando simancol nos armários e sites de farmácias.

"O desemprego é um ócio duro de roer." M.M.Soriano

"Insônia, pode pegar a passagem. Não sentirei saudade." Dani Leão

"Você não é depressivo, bipolar ou tem insônia. Somente fica triste às vezes, muda de humor e dorme tarde." Came Deltanu

"Queria viver mais e agradecer à insônia por me livrar dos pesadelos." Taíssa Cazumbá