domingo, 23 de janeiro de 2011

Procura-se você, um desconhecido

Por você que surgiu na mesma força com que desapareceu, na frugalidade do tempo à toa. Não contei quantas voltas foram. 7 no máximo. Run, run. E vupt. Sumiu. Tem jeito de Marcelo. Mas pode ser Maurício ou Fernando. Capricorniano ou leonino. Advogado ou desempregado. Comprometido ou desiludido. 23 ou 36. Suado. Bastante. Eu disse que havia gostado, e me disseram "vai lá falar com ele". Como assim? Que coisa deselegante. Mas o que a gente faz quando passa por alguém e sente algo que não sabe o que é, mas gosta de sentir? E se esse alguém fica circulando, circulando? Me tentando, me tentando. Era muito. Demais, tanto que não o esperava. Difícil. Corria e percebia. Parou, tirou a camiseta. Exibido, mas é o meu número. -Ele foi ousado. Provocador. Tá indo embora, vamos ir atrás dele para ver onde mora. -Não, ele vai pensar que vamos assaltá-lo. Bem capaz, no máximo roubar o coração dele e apresentar o meu. Uma troca justa. Pronto, foi embora pra nunca mais. Não creio! Voltou. -Viu, ele sacou. Meia volta. Sorriso de meia boca. Ele olhava e não me via. Disfarçava. Se fazia. Se foi. Pedala, Bruna. Alongamento. Dele. Puft, poderes de invisibilidade. Fiquei eu comigo mesmo - companhia de sempre. Era mais um sábado qualquer. Não foi. Era mais uma peripécia no verão: sorvete de abacaxi, 2 litros para dois amigos. E você. Não, quem corre não quer isso. E quanto a mim, seria que queria? Um dia, talvez. No parque? Na vida? Amanhã ou daqui 11 anos, 4 meses e 13 dias? Eu lembraria de você? Não. Eu não queria esquecer, mas acontece. Houve um delay de 5 segundos para eu chegar até você. Droga. E estávamos no mesmo lugar. Conclusões precipitadas: ele entrou naquele carro. Descobre a placa! Feito. Ei, vai por ali que eu vou por lá. Lá se foi com mais alguém. Segue. Vai atrás. Pedala e não cansa. Opa, cadê? -Aquela loira me deu oi. Ali, ali está. Vish, está voltando. -Vamos ver se é ele mesmo. Iiii, não é. Não era. Se foi pra onde? Volta. Pedala e não desiste. Amanhã ele deve voltar na mesma hora, não? Será um atleta assíduo ou um cidadão espantando o tédio sem pretensões olímpicas? Preciso te apresentar um catálogo das minhas intenções. Coloridas, texturizadas e contextualizadas. Sem plágio. Sem garantias. Onde te encontro? Como me apresento? Não o faço. Esqueço. Repenso. Voltar amanhã, te ver e não fazer nada é melhor do que não ir. Talvez. E a loira, quem era, Lu? Isso daria uma boa fotografia. Abstrusidades*. Eu tenho um plano pra que você leia isso que fiz pra você. Amanhã, a partir das 15:30. Aliás, já é hoje.

*Falta de método, de ordem; confusão.


"Melhor calar um sentimento a manifestá-lo a quem não sabe compreendê-lo." Autor desconhecido

"O verdadeiro querer não sofre de ansiedade, pois sabe que a vida responde na hora certa." Autor desconhecido

"Pisa.
Mas quando eu levantar, corre."
Autor desconhecido




PS: O meu email você encontra no meu perfil. Assim como está. Etcetera. Ymail. Comentário também serve, só não gosto de silêncio. Do teu.

0 blábláblá:

Postar um comentário