domingo, 12 de setembro de 2010

é tão urgente o que eu peço.

Mó palhaçada é o lance, se for do jeito que eu entendi. Eu não tenho uma plantação de dinheiro na cobertura do meu edifício. E ainda não excreto valores, meus meios fisiológicos são comuns. Espero que não se confirme o atraso de vida. Eu não quero ficar estudando até 2013. Não quero e não mereço mesmo. Meu limite é 2011. 2011, ouviu, my Sweet Lord? Eu imploro. PLEASE, save me now as you did another time. Segunda, ou no máximo terça já saberei disso. O problema até lá é controlar a incontrolável ansiedade.Vira tudo tecido adiposo por consumo excessivo de carboidratos e açucares. Eu tô ansiosa pacas. E não só por isso. Mas, mais com isso. Eu tinha me acalmado porque o outro lance tinha se concluído de maneira exitosa. Pelo menos isso. Eu sempre tenho que me ferrar. É incrível como tudo conspira pra me deixar soterrada. Depois eu que sou a estranha. Estranho é o que fazem comigo. Eu só sou as consequencias desses rolos todos. Eu sou velha por causa de todas as coisas que já aconteceram. Eu sou mais velha do que a minha mãe. Ela sim anda feliz como uma jovem de 20 anos, como que tivesse um futuro certo. Essa é minha encanação maior: eu não tenho um futuro certo. Eu não tenho nem uma porcaria de presente certo. Cada dia é uma porrada que a vida me dá. Cara, eu já aprendi tudo que eu podia aprender com o que já se passou. Eu não quero um vale a pena sofrer de novo. Eu quero paz, tá ligado? É só isso que eu quero. Sossego em pó, embalado, envidraçado...sei lá. Só não quero congelado, petrificado em pedrinhas de gelo queimando na minha mão e se liquidificando quando eu tiver 60 anos. O que eu peço é urgente. É pra hoje.

"Preciso de alguém, e é tão urgente o que digo" Caio F. Abreu
"Angústia é um nó muito apertado bem no meio do seu sossego." Adriana Falcão
"A vida não é como a gente quer. A vida é como ela quer ser." Minha mãe

0 blábláblá:

Postar um comentário