sexta-feira, 3 de abril de 2009

Tomara que chova

Dia 27 foi o pior dia de março. Triste descobrir o que já se sabia e tentava se ocultar. Ele é um cara de princípios tortos ou não sabe o que são princípios. Diz e não cumpre, dá a idéia mas só a põe em prática se eu for até ele e inventa desculpas indesculpáveis. E ontem! O que foi aquilo? Eu fugiria do meu corpo se fizesse a mau-caratice feita por ele. Não tem mais um pingo de vergonha naquela cara bolachuda e cicatrizada. Mas amanhã, se não chover, tomarei minhas providências providenciais. Ele vai me ouvir, mesmo querendo que eu suma.

No mais, tudo igual, empurrando a vida feito uma vaca gorda e prenha que não tem força nem para abanar o rabo.


Ainda bem que Fernando Pessoa existiu, me entende como ninguém:

"A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo."

"Ver muito lucidamente prejudica o sentir demasiado. E os gregos viam muito lucidamente, por isso pouco sentiam. De aí a sua perfeita execução da obra de arte."

"A maioria pensa com a sensibilidade, eu sinto com o pensamento. Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar é viver e sentir não é mais que o alimento de pensar."

"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens."

2 blábláblá:

Anônimo disse...

teus pensamentos... com certeza te levarão ao total isolamento da alma!
Pois não existem beleza neles só escuridão e medo!
Medo da luminosidade, da beleza medo de viver medo de encarar teus medos!!!!

Bruna Foscarini disse...

ai que sono.

Postar um comentário