quinta-feira, 16 de abril de 2009

O tic-tac de seu coração marca o tempo que se esvai

"Minha solidão não tem nada a ver com a presença ou ausência de pessoas. Detesto quem me rouba a solidão, sem em troca me oferecer verdadeiramente companhia"

Se fazia tempo que eu não era surpreendida, ontem se fez diferente. Devo ter oscilado entre vermelho escarlate e branco-gelo-sujo em 2 segundos. UAU! Revelações. E não sei por que ainda me surpreendo. A chance de confirmar o suspeito ainda não foi dada, mas se hoje for possível, o saberei. Porém, sendo particular, obscuro e inconfessável não poderei apresentar o mistério. Detenho a fonte e me manterei calada. OH!
Nas demais triavialidades desse mundo estúpido, tudo no 1x1. Mas pressinto que alguém saíra perdendo. Ah, ontem foi louco, além de novas descobertas, tive que ouvir, sem ter pedido, coisa do tipo "quem sabe assim aprende a dar valor". Filho, não inverta os papéis na prorrogação do 2º tempo. HAHAHAHA É só bola fora.


"Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te."

"O amor é o estado no qual os homens têm mais probabilidades de ver as coisas tal como elas não são."

"Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo."

"Em última análise, amam-se os nossos desejos, e não o objeto desses desejos."

Friedrich Nietzche, um dos meus cabeças pensantes preferidos


sexta-feira, 3 de abril de 2009

Tomara que chova

Dia 27 foi o pior dia de março. Triste descobrir o que já se sabia e tentava se ocultar. Ele é um cara de princípios tortos ou não sabe o que são princípios. Diz e não cumpre, dá a idéia mas só a põe em prática se eu for até ele e inventa desculpas indesculpáveis. E ontem! O que foi aquilo? Eu fugiria do meu corpo se fizesse a mau-caratice feita por ele. Não tem mais um pingo de vergonha naquela cara bolachuda e cicatrizada. Mas amanhã, se não chover, tomarei minhas providências providenciais. Ele vai me ouvir, mesmo querendo que eu suma.

No mais, tudo igual, empurrando a vida feito uma vaca gorda e prenha que não tem força nem para abanar o rabo.


Ainda bem que Fernando Pessoa existiu, me entende como ninguém:

"A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo."

"Ver muito lucidamente prejudica o sentir demasiado. E os gregos viam muito lucidamente, por isso pouco sentiam. De aí a sua perfeita execução da obra de arte."

"A maioria pensa com a sensibilidade, eu sinto com o pensamento. Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar é viver e sentir não é mais que o alimento de pensar."

"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens."